4 previsões da Equinix sobre a evolução da infraestrutura digital

Os próximos tempos afiguram-se ideais para as empresas portuguesas darem um salto ambicioso para uma estratégia digital-first, que lhes permita acelerar a sua jornada de transformação digital.

Portugal tem vindo a estabelecer-se gradualmente como um importante Hub de interconexão a nível europeu e mundial, nomeadamente no que diz respeito às redes globais de cabos submarinos, interligando Portugal, África e América do Sul. E, por isso, o data center da Equinix em Lisboa (LS1) está estrategicamente localizado, possuindo conectividade direta a todos os cabos submarinos em Portugal, sendo ideal para as organizações que pretendem usufruir destas autoestradas submarinas de forma simples e eficiente, proporcionando, ao mesmo tempo, os mais avançados serviços de interconexão às empresas em Portugal, permitindo-lhes chegar a todos os locais, pessoas e oportunidades de negócio no mundo inteiro.

Nesse sentido, segundo à última edição do estudo Global Interconnection Index, da Equinix, a interconexão – medida do intercâmbio direto e privado de dados entre organizações – deverá atingir, a nível global, uma dimensão 15 vezes superior à da Internet. Na EMEA, a largura de banda de interconexão irá crescer 46% ao ano, ilustrando como os líderes digitais estão a usar a interconexão e a infraestrutura digital para moldar e dimensionar a economia global.

Um outro estudo da Equinix, o Global Tech Trens Survey – que inquiriu 2.600 decisores empresariais em 26 países, incluindo Portugal – revela que 73% dos decisores de TI no nosso país acredita que a migração para a cloud é uma prioridade, e 79% dos respondentes nacionais afirma-se focado na digitalização da infraestrutura de TI. A comprovar esta tendência, metade das empresas inquiridas em Portugal tenciona expandir-se para novas geografias, apesar das disrupções introduzidas pela pandemia COVID-19. Destas, quase dois terços (62%) planeia atingir esse objetivo de forma virtual, sem necessidade de investimento em infraestrutura física nos mercados-alvo. Finalmente, 47% dos entrevistados portugueses confirmaram que a interconexão é fundamental para a sobrevivência das organizações.

Estes dados comprovam a importância capital da interconexão para o sucesso das empresas portuguesas. E a Equinix dá suporte à transformação digital das empresas em Portugal, ajudando-as a implementar a sua infraestrutura digital e a aceder aos principais provedores de cloud e ecossistemas que são cruciais para o seu sucesso.

À medida que colaboramos com nossos mais de 10.000 clientes corporativos e parceiros em todo o mundo, testemunhamos tendências e casos de sucesso que nos ajudam a ter uma compreensão panorâmica sobre a evolução do setor. Nos parágrafos seguintes, apresentamos quatro das principais tendências tecnológicas que vão marcar o setor das TI durante o próximo ano. 

O sucesso da estratégia digital-first depende da forma como se encara a complexidade da multicloud híbrida

Em 2023, 40% das empresas da lista Forbes Global 2000 irá redefinir os seus processos de seleção da cloud, optando por apostar mais nos resultados dos negócios e não apenas nos requisitos de TI. Durante a próxima década, a multicloud híbrida terá um papel proeminente na determinação de como as organizações implementam as estratégias digital-first e usam a infraestrutura “as-a-service”. Os líderes digitais que conseguirem ultrapassar a complexidade da cloud, dos dados e dos ecossistemas, por meio da automação, da Inteligência Artificial, do “Machine Learning”, das APIs e serviços edge, irão conquistar uma vantagem competitiva significativa.

AI/ML no edge alimentará a 5G e IoT

Os dados no edge estão em constante explosão, à medida que as tecnologias 5G e IoT florescem, liderando um mercado global de edge computing que deve chegar aos 43,4 mil milhões de dólares em 2027. Os dados gerados pelos veículos autónomos, pelos drones, câmaras de vigilância e dispositivos médicos IoT vão exigir um elevado desempenho de AI/ML em tempo real no edge. Durante a próxima década, a IA/ML estará presente em todos os aspetos da vida humana: robôs dotados de IA vão encarregar-se de inúmeros serviços, desde a agricultura ao transporte de alimentos, passando pela entrega de mantimentos, até à confeção de refeições. Espera-se uma forte evolução em termos de políticas públicas e legais, com o intuito de melhor abordar as questões éticas trazidas pela AI/ML, no que respeita à gestão e proteção dos dados privados.

Novos modelos de confiança estarão no topo da agenda da cibersegurança

Os ataques cibernéticos estão a aumentar drasticamente, gerando um custo anual estimado em mais de 6 biliões de dólares em 2021, e de 10,5 biliões em 2025. Apesar dos riscos inerentes, as empresas continuarão a adotar serviços na cloud e a estender os limites da sua rede tradicional para funcionários e parceiros, com o objetivo de adquirirem uma vantagem digital. Os líderes tecnológicos devem ajudar as suas empresas a navegar pelas ameaças atuais, antecipando os riscos e mantendo-se um passo à frente dos imprevistos.

Os negócios a nível global irão mover-se para o “net-zero”

Nos dias de hoje, as iniciativas “verdes” são fundamentais para o sucesso das organizações públicas e privadas a nível global. Na sua carta aos CEOs de 2021, Larry Fink, presidente e CEO da empresa de gestão de ativos BlackRock, dá voz ao compromisso dos investidores com um futuro sustentável: “O mundo está a caminhar na direção do “net-zero” e a BlackRock acredita que os seus clientes são mais bem tratados se estiverem na vanguarda desta transição”. É um facto que a sustentabilidade está a impulsionar a inovação na infraestrutura digital, abrangendo diversas áreas, desde as estratégias de negócios e operações, até às cadeias de fornecedores “end-to-end”.

Últimos artigos

Infraestrutura

Voltar a Falar do IT

Infraestrutura

IDC Cloud Roadshow 2022 – Veja aqui o Best of!