09.2020- Directions

IDC Directions® – Best of dia 30 de Setembro!

Obter a “confiança” é fundamental para uma organização ser bem-sucedida na economia digital. A confiança transforma-se num tópico nos conselhos de administração, conforme a linguagem de confiança se altera. As conversações passam de descrições qualitativas e abstratas sobre segurança e confiança para expressões quantitativas do risco.

IDC Directions® - Best of dia 30 de Setembro!

Future of Operations

Na economia digital, para dar resposta à crescente procura de produtos e experiências, as organizações a nível mundial vão migrar de uma mentalidade operacional focada na eficiência para uma mentalidade orientada para o mercado. À medida que as organizações se concentram na utilização da tecnologia para construir uma organização ágil e resiliente através da instrumentação, da integração da infraestrutura e do conhecimento, vai desaparecer a distinção entre tecnologias de informação (TI) e tecnologias operacionais (TO). Uma organização com operações ágeis e resilientes possui a capacidade para tomar decisões em tempo ‘quase real’ ajustando-se aos sinais do mercado. Os vínculos rígidos de stocks e recursos para um plano operacional vão ser significativamente alargados através da capacidade de prever as necessidades dos clientes, a procura existente no mercado e o desempenho operacional.

IDC Directions setembro 2020, Lisboa
  • Em 2023, 50% dos departamentos operacionais vão ter um departamento “integrado” que combina a experiência operacional e a experiência de TI com um mandato para impulsionar e suportar a inovação digital nas operações.
  • Em 2024, 60% do capital normalmente destinado à eficiência operacional vai ser canalizado para a capacidade de agilidade para o desenvolvimento de serviços e personalização.
  • EM 2024, ativos e processos de auto-regeneração, com adoção de plataformas de IoT e digitalização de ativos, vão permitir a automatização das ações corretivas em mais de 75% dos novos processos operacionais.

Future of Trust

Obter a “confiança” é fundamental para uma organização ser bem-sucedida na economia digital. A confiança transforma-se num tópico nos conselhos de administração, conforme a linguagem de confiança se altera. As conversações passam de descrições qualitativas e abstratas sobre segurança e confiança para expressões quantitativas do risco. Os programas de confiança digital vão sendo desenvolvidos à medida que a gestão da reputação das atividades digitais e da reputação geral vão estar mais intimamente ligados à capacidade de conduzir o negócio.

Os clientes, e todo o ecossistema, vão ter em consideração a reputação digital de quem escolhem para fazer negócio. Os clientes são proprietários dos dados que criam e capturam, mesmo que sejam partilhados numa plataforma digital. Os clientes esperam que as organizações capturem dados sobre eles, mas que mantenham a privacidade e o anonimato. Por outro lado, as organizações que guardem dados de clientes vão ter uma maior responsabilidade e devem ser responsabilizadas para manter as expetativas dos clientes.

  • • Em 2023, 50% das Global 2000 vai nomear um Chief Trust Officer, que irá orquestrar a confiança através das diferentes funções, incluindo segurança, finanças, recursos humanos, risco, vendas, produção e jurídico.
  • • Em 2025, 2/3 dos conselhos de administração das Global 2000 irá solicitar uma iniciativa formal de confiança para aumentar a segurança, a proteção de privacidade e a execução ética da organização.
  • • Em 2025, os algoritmos vão ser auditados por entidades independentes.
  • • Em 2025, 40% das empresas da Fortune 1000 vão exigir que os parceiros e fabricantes tenham avaliações (rates) de confiança como condição para realizarem negócio.
  • • Em 2025, as novas organizações de media vão investir 1% das receitas publicitárias em serviços de auditoria e de classificação baseados em blockchain, IA e gestão de direitos digitais para garantir a veracidade da informação.
Gabriel Coimbra
Group Vice President and Country Manager at IDC