O Futuro da Conexão

À medida que as empresas evoluírem as suas ofertas de serviços e experiências digitais, o tema da conexão será um desafio cada vez maior.

A Agenda do CEO

Com base em estudos realizados com CEOs e líderes de indústria em todo o mundo, a IDC acredita que os quatro principais temas na agenda do CEO nos próximos anos estarão relacionados com: 

  1. Novos requisitos dos clientes.
  2. Novos recursos e competências.
  3. Novas infraestruturas críticas.
  4. Novos ecossistemas nas indústrias.  

O “Futuro da Conexão” enquadra-se no tema das “Novas Infraestruturas Críticas” e estará diretamente relacionado com criação de experiências pervasivas. Estudos recentes da IDC realizados com CEOs concluíram que o tema da “Criação de Experiências de Conexão Contínuas” se encontrava na sética posição entre os temas mais relevantes para o futuro das organizações.  

O Contexto

Apesar do número crescente de pessoas e coisas conectadas e da quantidade cada vez maior de tempo que passamos a interagir digitalmente com o mundo ao nosso redor, ainda não podemos considerar que as pessoas têm uma conexão pervasiva quando mudam de ambiente para ambiente ou de contexto para contexto. À medida que as empresas evoluírem as suas ofertas de serviços e experiências digitais, o tema da conexão será um desafio cada vez maior.  

Family life insurance and policy

A Conexão Hoje

Hoje em dia “estarmos ligados” implica ligarmo-nos e desligarmo-nos (ou até “tropeçarmos”) numa variedade de redes ao longo do dia, quer seja em casa, no trânsito, no trabalho ou em vários outros contextos sociais. As experiências de conexão variam entre redes com e sem fio, redes privadas e públicas, de baixa velocidade e alta velocidade ou de baixo e alto custo. Conseguir uma boa ligação pode ser mais ou menos fácil, mas ainda existem locais onde as ligações caem (sem que sejam desligadas de propósito para os miúdos virem para a mesa!) ou não estão mesmo disponíveis quando necessitamos delas.  

A Conexão na Economia Digital

Na economia digital, a conexão é a base do “futuro da empresa”. A conexão será estendida até ao “edge”, será pervasiva e inteligente, automatizada, otimizada de acordo com as aplicações e transparente para os utilizadores. 

A conexão entre uma empresa e o seu ecossistema promete grandes saltos de eficiência operacional, novas possibilidades de tomada de decisão em tempo real, serviços digitais inovadores e experiências contínuas e generalizadas. As tecnologias de comunicações irão evoluir para suportarem cada vez mais a ligação de pessoas, coisas e processos e funcionarão como os “tendões” que ligam os dados, permitindo que sejam sensorizados, transportados e computados. 

Para competirem e criarem valor numa economia digital as empresas terão de ser capazes de continuar a navegar nos mares turbulentos das diversas conexões entre diferentes  ambientes e locais. Até que a desigualdade do contexto de conexão seja atenuada, as empresas que pretenderem estar na linha da frente da transformação digital terão de assumir elas próprias as soluções de conexão, exigindo um maior investimento privado, mais planeamento estratégico e maior supervisão. Só assim será possível que as empresas possam desenvolver os seus modelos de relação contínuos para interagirem com seus colaboradores, clientes, parceiros e outras pessoas e coisas no seu ecossistema. 

Marcadores de mudança

  • Até 2022, 25% das grandes empresas irão identificar um líder responsável por garantir experiências conectadas, pervasivas e contínuas para os seus colaboradores, operações, clientes e parceiros.
  • Até 2023, 70% destas empresas deverão adotar novas métricas para medir o sucesso da conexão – passando de métricas de conexão tradicionais, como tempo de inatividade ou perda de pacotes, para métricas diretamente relacionadas com os resultados do negócio.
  • Até 2024, mais de 70% das grandes empresas em todo o mundo terão um roadmap tecnológico que irá incluir a evolução para redes da próxima geração.
  • Até 2024, 45% destas empresas B2C fornecerão uma conexão totalmente integrada.
  • Até 2024, 70% das empresas terão qualificado os seus programadores ou adquirido novos talentos para incluir recursos e ambientes de rede acessíveis por API nas suas iniciativas internas de desenvolvimento.
  • Até 2025, as empresas totalmente conectadas obterão pelo menos 2x ROI através de ganhos na receita, retenção de clientes, longevidade da infraestrutura e eficiência dos processos / custos. 

Conselhos para os Fornecedores de Tecnologias

Nos próximos anos os clientes irão procurar criar experiências pervasivas através da conexão da sua força de trabalho, clientes, operações e parceiros. Os fornecedores de tecnologia deverão apoiar os seus clientes na criação desse tipo de experiências, contribuindo para o road map de desenvolvendo de redes e acessos unificados e inteligentes que permitam orquestrar a conexão em toda a empresa e no seu ecossistema de parceiros.    

Bruno Horta Soares
Leading Executive Advisor at IDC Portugal