cloud

Os desafios da Hybrid Cloud

José Miguel Pereira, IT Operations, Cloud & Security Director na Noesis, falou sobre as soluções de Cloud enquanto acelerador da transição para os modelos de TI híbridos.

Já muito se discutiu sobre os efeitos da pandemia na transformação digital, sendo inequívoco que temos assistido à maior vaga de transformação alguma vez verificada. A alteração drástica do contexto obrigou as empresas a uma rápida adaptação, com profundas implicações nos seus modelos operativos.
O mundo mudou e as organizações foram obrigadas a dar um salto tecnológico de vários anos, em poucos meses. É importante reconhecer que esta rápida aceleração digital e adaptação das organizações só foi possível graças a um ecossistema de IT flexível, maduro e resiliente. Ao mesmo tempo, esta transformação foi fortemente alicerçada nas infraestruturas cloud – e muito em particular nas clouds públicas –, com uma oferta ampla, robusta e acessível.
Estamos a transformar o IT a um ritmo impressionante e a transição para um modelo de IT Híbrido é uma realidade – uma vez mais, a flexibilidade, agilidade e sofisticação das diferentes soluções cloud são um acelerador.

A jornada para a cloud

As organizações estão focadas em garantir que tiram o melhor partido de cada uma das clouds e procuram encontrar a configuração mais eficiente entre on prem, clouds públicas e clouds privadas. Ao mesmo tempo, estão preocupadas em garantir que as decisões que tomam hoje relativamente à cloud estão alinhadas com a estratégia global de IT – e isto inclui, naturalmente, uma estratégia de múltiplos providers com gestão inteligente e integrada do lock in. Nesta jornada, é crítico garantir que não reinventamos a roda e minimizamos o risco. Já há muito investimento feito em ativos que ajudam a definir qual a configuração mais adequada, e qual o TCO que podemos esperar para cada uma das opções. O mesmo se aplica com os ativos já existentes para os processos de migração para a cloud.
A complexidade e heterogeneidade veio para ficar, e é fundamental garantir que temos uma visão holística de toda a nossa arquitetura e infraestrutura de IT – automação, integração e observabilidade end-to-end são requisitos chave a implementar para garantirmos uma gestão eficiente.
A jornada tem tanto de complexa como de aliciante. Claramente, estamos a falar de novos paradigmas e há que considerar na estratégia um plano muito agressivo de reconversão e recapacitação das equipas de IT das nossas organizações – do sucesso desta jornada, 95% é capacitação e apenas 5% é tecnologia.

Os desafios do IT híbrido

A jornada para a cloud, nas suas diferentes configurações, está repleta de desafios, sendo o relativo à segurança um dos que mais preocupa os CIO’s das nossas organizações. Não se trata apenas dos ambientes estarem mais complexos – nas arquiteturas híbridas de IT com on prem, clouds privadas e clouds públicas –, trata-se primeiro, e acima de tudo, do que vemos hoje em termos de ameaças: - A janela de oportunidade – para os atacantes – criada com a migração massiva para o teletrabalho originou uma vaga sem precedentes – nunca se sofreram tantos ataques.
 - A sofisticação dos criminosos com a emergência de ataques recorrendo a soluções de Inteligência artificial e ataques machine on machine.
Perante este contexto de maior complexidade em termos de ecossistema tecnológico e de aumento do nível de ameaça, exige-se uma mudança de paradigma – soluções muito mais baseadas em Inteligência Artificial e Machine Learning – de forma a tentarmos equilibrar os pratos da balança e as capacidades cada vez mais usadas pelos atacantes.

José Pereira
IT Operations, Cloud & Security Director, Noesis