Our unique universe . Mixed media

O Papel do Digital nas Estratégias de Resiliência e Sustentabilidade 

Aprender a tirar o máximo partido dos momentos de disrupção para mudar e, acima de tudo, melhorar foi o desafio que Jean-François Segalotto, da IDC Europe deixou numa apresentação em que falou do papel do digital nas estratégias de resiliência e sustentabilidade das organizações. 

O Papel do Digital nas Estratégias de Resiliência e Sustentabilidade 

Jean-François Segalotto, Associate Research Director, IDC Europe foi um dos convidados da mais recente edição do IDC Directions e subiu ao palco virtual do evento para falar do papel do digital no âmbito das estratégias de resiliência e sustentabilidade das organizações. 

Nos últimos 18 anos meses as empresas foram fortemente pressionadas a otimizar custos e a adotar novos modelos de negócio. Os executivos tiveram de se desafiar para conseguir dar resposta aos estímulos que surgiram, tendo sempre em conta cinco dimensões fundamentais na sua estratégia: propósito, resiliência, imaginação, ecossistemas e mestria.  

Jean-Francois Segalotto focou a sua apresentação em duas delas: propósito e resiliência.  

O conceito de propósito tem a sustentabilidade no core da agenda da organização usando os dados como o elemento fundamental para se trabalhar todos a estratégia.  

Diz este responsável que as organizações perceberam, finalmente, que o clima e o ambiente devem ser prioridades indiscutíveis. A pandemia veio apenas servir de “catalisador para esta realidade levando as organizações a empenharem-se ainda mais”.  

IDC Directions® Setembro 2021, Lisboa

Neste campo, a IDC estima que os gastos com digitalização na Europa venham a crescer 3 vezes mais depressa do que o PIB, já em 2022, ano em que “dois terços da economia vai caminhar fortemente para a digitalização”. Algumas das empresas que iniciaram já esta sua caminhada são a Unilever, a H&M ou a BMW.  

O segundo pilar referido por Jean-François Segalotto diz respeito à Resiliência do Negócio versus a Resiliência Digital. A primeira é a capacidade que o negócio tem de rapidamente responder às disrupções que surgem enquanto a resiliência digital é a capacidade de este se adaptar rapidamente às disrupções do negócio usando capacidades digitais. 

A IDC percebeu que 22% das empresas expandiram os seus planos de resiliência para lidarem com a pandemia “enquanto 33% planeia vir a fazê-lo para lidar com futuras disrupções que possam surgir”.  

Contas feitas, Jean-François Segalotto deixa um call to action, mesmo a terminar a sua apresentação: “Tire o máximo partido dos momentos de disrupção para mudar e melhorar.”  

Jean-François Segalotto
Associate Research Director at IDC