Businesswoman and New York

O Futuro do Setor Público em Debate no IDC Directions®

Os últimos três anos da administração pública em período pandémico implicaram alterações profundas e uma nova relação com as tecnologias e a digitalização dos serviços. O último Digital Leaders debateu este e outros temas, apontando ao futuro da AP portuguesa.

O Futuro do Setor Público em Debate no IDC Directions®

No último Digital Leaders Panel do IDC Directions 2021, subordinado ao tema “Future of Public Sector”, a conversa foi antecipada por uma apresentação de Joyce Fernandes, VP Public Sector, Bold by Devoteam que contextualizou a sua empresa: uma companhia portuguesa, criada em 2009 que conta atualmente com 900 colaboradores, quatro escritórios em Portugal e está integrada no grupo europeu Devoteam. 

Joyce Fernandes lançou ainda ideias para o debate, lembrando que Portugal “foi front runner em desenvolvimento de serviços para o cidadão em 2016, 2017 e 2018” com “um forte investimento em tecnologia e uma boa liderança que projetaram o nosso país além-fronteiras”. O posterior “desinvestimento é fruto da crise vivida”, mas existe agora “uma oportunidade única para voltar a colocar as nossas energias neste tipo de realidade”, percebendo “o cidadão como centro das nossas decisões”. 

As conclusões saídas de um estudo da IDC em torno dos vários Planos de Recuperação e Resiliência europeus deram também o mote a Nuno Silva Carvalho, associated partner, IDC Consulting & Partner , Zertive, para moderar a conversa. O estudo aponta que se pretende trabalhar, de uma maneira geral:

- Em mais e melhores serviços digitais, mas num nível de maturidade superior em que conta mais a capacidade de colocar o cidadão e as organizações no centro desses serviços; 

- Na capacidade de monetizar os dados que a AP tem ao seu dispor; 

- No desafio de modernizar as infraestruturas TIC em várias áreas.  

Do lado dos exemplos mais práticos Sofia Carvalho, vogal do Conselho Diretivo do Instituto da Segurança Social explica “que a Segurança Social esteve e está na linha da frente durante todo este período pandémico”. Recorda esta responsável que “foram mais de quatro milhões e meio de cidadãos e mais de 400 mil empresas que receberam apoio extraordinário em mais de 3 mil e 300 milhões de euros no total”. 

A tecnologia ajudou, “mas só numa segunda fase, quando conseguimos alcançar alguma maturidade ao nível dos serviços digitais”, recordou. A tecnologia passou então a permitir submeter pedidos em formato digital e que a informação fosse acompanhada de ponto a ponto em todo o seu trajeto, “promovendo a celeridade dos processos”.  

Do lado da eSPap, o seu presidente, César Pestana, defende que durante a pandemia “o fator cultural e humano foi muito importante e depois a tecnologia foi um catalisador de todo este processo” sendo importante “tirar daqui lições para incorporar no futuro nos nossos serviços”. 

Na AMA, a pandemia foi também bastante marcada, existindo um antes e um depois da mesma. Sara Carrasqueiro, vogal do Conselho diretivo da AMA explica que entre 2019 e 2021 “houve um grande aumento de uso de serviços públicos digitais e serviços de outros canais que apoiam os digitais, como o telefone”. Assim sendo, o número de visitas ao Portal Único de Serviços “duplicou de 8 milhões em 2019 para 16 milhões em 2020” e “os serviços telefónicos triplicaram de 600 mil em 2019 para 1.8 milhões em 2020”. Os números dão bem conta do que foram os últimos tempos, mas Sara Carrasqueiro acredita que “o aumento do uso dos serviços digitais em 2020 se deve bastante ao facto de o canal presencial não estar disponível”. De qualquer forma, esta é uma realidade que ganhou força e dificilmente vai mudar: “Em 2021, a utilização de serviços digitais já superou o número total de 2020 o que significa que vieram mesmo para ficar. “ 

Mas este Digital Leaders permitiu ainda ficar a conhecer outros projetos desenvolvidos nas diferentes organizações e levantou um pouco do véu sobre o futuro dos serviços públicos na era pós-pandemia.

Para conhecer os caminhos que vão sendo seguidos, basta espreitar o debate promovido pela IDC:

IDC Directions® Outubro 2021, Lisboa