FES_Separadores2022_CarolinaNuno-03

#32 Future Enterprise Show com Carolina Bouvard Nuño

Com a transformação digital a dar cartas um pouco por todos os setores da sociedade, a banca não poderia ser diferente. A caminhar por entre convulsões de um forte momento disruptivo, o setor adapta-se aos novos desafios de um cliente muito mais exigente.

#32 Future Enterprise Show com Carolina Bouvard Nuño

Carolina Bouvard Nuño, Head of Technology and Operations do Banco Santander Portugal é a convidada da mais recente edição do Future of Enterprise Show (FES), organizado pela IDC Portugal e parceria com a Nova IMS.  

Numa conversa que fluiu ao ritmo das palavras, Gabriel Coimbra, Group Vice President and Country Manager da IDC Portugal e Fernando Bação, professor na Nova Information Management School ouviram a opinião de Carolina Nuño sobre a realidade tecnológica atual no mundo financeiro ligado à Banca.  

Profissional desta área há vários anos, Carolina Nuño, que começou nas telecomunicações e abraça agora um novo desafio no Banco Santander, acredita que “o otimismo e ter a capacidade de ser positiva” foram características determinantes na sua evolução profissional. “É muito importante ter a noção clara daquilo que gostamos na vida, do que queremos construir; devemos também ser perseverantes e ter energia positiva”, disse ainda. 

IDC Future Enterprise Show maio 2022, Lisboa

De resto Carolina Nuño considera que “empatia, valentia, generosidade e humildade são quatro valores” determinantes na vida profissional como na pessoal. A empatia “para perceber a visão de todos ao nosso redor”, a valentia “de fazer as coisas diferentes e criar outras novas”, a generosidade “muito valorizada a nível pessoal, mas não profissional, mas que é fundamental quando se trabalha em conjunto, em rede”. E, finalmente, a humildade “porque não sabemos tudo e não temos sempre razão e devemos ter a capacidade de aprender com os outros, saber ouvir é sinal de inteligência no trabalho”.  

No setor da banca, Carolina Nuño sabe que há ainda muito para fazer: “A banca está a viver o momento de maior disrupção da sua história, devido a clientes, mercado e tecnologia.”  

No caso do Banco Santander Portugal, “60% dos nossos clientes já são digitais e 60% das nossas vendas também são digitais”, mas há ainda “muito para fazer”. 

Assim sendo, os próximos cinco a 10 anos são de trabalho e muitos desafios. “Acredito que o físico e o digital são realidades complementares e uma boa proposta de valor ao cliente tem de abranger as duas”. Em termos de futuro, atravessamos um período muito desafiante “e confio muito no papel da banca e na sua contribuição para a transformação da sociedade e de tudo o que tem a ver com a transição energética e climática rumo a uma sociedade mais sustentável”.  

Questionada sobre o papel da supervisão e do Regulador na área da banca, Carolina Nuño defende que entende “o papel do supervisor como necessário” embora seja certo “que o mesmo mercado deveria ter as mesmas regras, seja para o banco seja para as fintechs”.  

Ao nível da transformação digital no Banco Santander, esta responsável adianta que, com os modelos Agile, se está a quebrar um pouco o que eram as estruturas tradicionais “e há cada vez mais integração entre o negócio e a tecnologia, sendo que a transformação está muito no ADN do banco”. Ainda assim, torna-se necessário saber lidar com a escassez de recursos tecnológicos especializados. Carolina Nuño assegura que “os profissionais portugueses são excelentes e com ótima preparação” sendo que “Portugal tem uma grande oportunidade para se desenvolver neste campo e continuar a crescer muito”. No Banco Santander “estamos muito focados em trabalhar o upskilling da equipa para manter um bom nível de atualização face às novas tecnologias”. 

E, para lá das tecnologias, ficam ainda sugestões de leitura a não perder: “Gosto muito de ler ensaios e gosto muito de Jared Diamond, grande especialista de biologia evolutiva; gosto também de Daniel Kahneman, psicólogo e prémio nobel da economia que tem reflexões muitos boas sobre os processos mentais que suportam a tomada de decisão”. 

Antes de finalizar, Carolina Nuño deixa um conselho a todos quantos estão agora a começar o seu percurso profissional: “Sonhar grande, lutar pelos seus sonhos e aproveitar a caminhada com a felicidade e o equilíbrio das coisas pequeninas do dia a dia”. 

O Future Enterprise Show é uma iniciativa da responsabilidade da IDC Portugal e da Nova IMS, em parceria com a Nexllence. Apresentado e guiado por Fernando Bação, Professor Catedrático Nova IMS, e Gabriel Coimbra, Group VP & Country Manager da IDC.

Pode também assistir ao episódio completo aqui : Spotify​ , Google Podcasts  ou outras plataformas.      

Gabriel Coimbra
Group Vice President and Country Manager at IDC
Fernando Bação
Professor Catedrático na Nova Information Management School